Carregando...
Cadastrar
Voltar
Recomendamos que não utilize o mesmo e-mail que utiliza no Habbo Hotel.
Recomendamos que não utilize a mesma senha que utiliza no Habbo Hotel.
Seja bem-vindo!
Criando sua conta você conta com todos os recursos disponíveis no site!
Comente, crie conteúdo e divirta-se ao máximo!
Hey, uma ajudinha!
Para ajudar a ProHabbo, navegue no site com o AdBlock desabilitado.

Este tópico foi revisado pela equipe de moderação em 18/07/2019 00:09.
jeanoliver03
Nível final - 100%
Já vivi e conquistei tudo na vida.
Placar de conquista: 15773
Explosivo
748
Membro da equipe
Curiosidades - 50 visualizações
Pedro Álvares Cabral
Pedro Álvares Cabral

Navegador português


Biografia de Pedro Álvares Cabral


Pedro Álvares Cabral (1467-1520) foi um navegador e explorador português, capitão-mor da frota portuguesa que avistou a costa do Brasil em 22 de abril de 1500.

Pedro Álvares Cabral nasceu no Castelo de Belmonte, na Beira Baixa, Portugal, no ano de 1467. Foi o terceiro filho de Fernão Cabral e Isabel Gouveia de Queirós. De família nobre, famosa nas lutas contra os mouros e castelhanos, estudou em Lisboa onde aprendeu literatura, história, cosmografia e artes militares. Na corte de D. João II (1481-1495) aperfeiçoou-se em cosmografia e estudou técnicas militares.

No reinado de D. João II começaram as grandes saídas marítimas. Experientes no uso de caravelas, os portugueses passaram a explorar a costa ocidental da África. Em 1488, Bartolomeu Dias cruzou o cabo da Boa Esperança, extremo sul da África e, em 1498, Vasco da Gama chegou a Calicute, na Índia.

Esquadra de Pedro Álvares Cabral


Na corte de D. Manuel (1495-1521), Cabral foi agraciado com o título de “Fidalgo do Conselho do Rei e Cavaleiro da Ordem de Cristo”. Em 1499, foi nomeado capitão-mor da esquadra que seguiria para a Índia, com missão diplomática, comercial e militar.

Pedro Álvares Cabral assumiu o posto de capitão-mor da frota, composta por dez naus e três caravelas, a maior frota até então enviada ao Oriente, entregando o comando a navegadores experientes como Bartolomeu Dias e Nicolau Coelho. Havia pessoas importantes em cada navio como fidalgos e religiosos, entre eles, frei Henrique Soares de Coimbra, o escrivão Pero Vaz de Caminha e ainda cientistas e astrônomos.

No dia 9 de março de 1500, no porto de Lisboa, após uma missa, em meio a uma grandiosa cerimônia com a presença do rei e sua corte, Cabral recebe das mãos do rei o estandarte real, símbolo do seu poder, partindo em seguida para as Índias.

Chegada ao Brasil


No dia 22 de abril a esquadra avista novas terras. No dia 23 desembarcam no local denominado Porto Seguro (hoje baía Cabrália), entre a ilha da Coroa Vermelha e a baía rasa de Santa Cruz, na Bahia, travando os primeiros contatos com os indígenas.

Pero Vaz de Caminha, na carta que envia depois ao rei D. Manuel, conta que Cabral, resolveu mandar um pequeno barco, com Nicolau Coelho, para ver o local de perto. Vinte homens pardos, todos nus se aproximaram do escaler. Os homens traziam arco e flecha, mas a um sinal dos portugueses baixaram as armas.

No dia 26 de abril, na ilha da Coroa Vermelha, é rezada a primeira missa no Brasil. Nos dias que se seguiram, Cabral organizou diversas excursões para conhecer melhor o lugar. No dia 1 de maio, uma cruz foi levada até as margens, tinha as armas de Portugal esculpidas, era o marco da soberania portuguesa. Foi colocada na entrada da floresta, diante de um pequeno altar, onde foi celebrada a segunda missa, como cerimônia de posse das terras, sob os olhares dos indígenas.

Rumo à Índia


No dia 2 de maio a nau de Gaspar de Lemos retorna a Portugal, levando a carta de Pero Vaz de Caminha. Os demais navios seguem para a Índia. No dia 13 de maio, quatro embarcações, entre as quais a de Bartolomeu Dias, é destruída pela tormenta.

Pedro Álvares Cabral chega a Calecute na Índia, no dia 13 de setembro de 1500. Recebido pelo rei, atacou os mouros, queimou dez naus ancoradas no porto e matou cerca de 600 inimigos. Seguiu para Cochim e Cananor, onde carregou as naus com especiarias. Retornou à Europa com um grande carregamento de especiarias e produtos locais, aportando em Lisboa no dia 21 de julho de 1501, com seis navios remanescentes da grande esquadra. Cabral é recebido com festas, era a consolidação do comércio com o oriente.

Últimos Anos


Em 1503, Pedro Álvares Cabral casa-se com D. Isabel de Castro, filha de D. Fernando de Noronha e Constança de Castro, com quem teve seis filhos. É nomeado para o comando de uma nova expedição, mas depois de oito meses de preparativos, é substituído por Vasco da Gama. Em 1509, retira-se para sua propriedade perto de Santarém. Em 1518 recebe o título de Cavaleiro do Conselho Régio.

Pedro Álvares Cabral faleceu em Santarém, Portugal, no ano de 1520. Seu corpo foi sepultado na Igreja da Graça.

Imagem

Ocupação
Navegador português


https://www.ebiografia.com/pedro_cabral/
Pedro Álvares Cabral

Navegador português


Biografia de Pedro Álvares Cabral


Pedro Álvares Cabral (1467-1520) foi um navegador e explorador português, capitão-mor da frota portuguesa que avistou a costa do Brasil em 22 de abril de 1500.

Pedro Álvares Cabral nasceu no Castelo de Belmonte, na Beira Baixa, Portugal, no ano de 1467. Foi o terceiro filho de Fernão Cabral e Isabel Gouveia de Queirós. De família nobre, famosa nas lutas contra os mouros e castelhanos, estudou em Lisboa onde aprendeu literatura, história, cosmografia e artes militares. Na corte de D. João II (1481-1495) aperfeiçoou-se em cosmografia e estudou técnicas militares.

No reinado de D. João II começaram as grandes saídas marítimas. Experientes no uso de caravelas, os portugueses passaram a explorar a costa ocidental da África. Em 1488, Bartolomeu Dias cruzou o cabo da Boa Esperança, extremo sul da África e, em 1498, Vasco da Gama chegou a Calicute, na Índia.

Esquadra de Pedro Álvares Cabral


Na corte de D. Manuel (1495-1521), Cabral foi agraciado com o título de “Fidalgo do Conselho do Rei e Cavaleiro da Ordem de Cristo”. Em 1499, foi nomeado capitão-mor da esquadra que seguiria para a Índia, com missão diplomática, comercial e militar.

Pedro Álvares Cabral assumiu o posto de capitão-mor da frota, composta por dez naus e três caravelas, a maior frota até então enviada ao Oriente, entregando o comando a navegadores experientes como Bartolomeu Dias e Nicolau Coelho. Havia pessoas importantes em cada navio como fidalgos e religiosos, entre eles, frei Henrique Soares de Coimbra, o escrivão Pero Vaz de Caminha e ainda cientistas e astrônomos.

No dia 9 de março de 1500, no porto de Lisboa, após uma missa, em meio a uma grandiosa cerimônia com a presença do rei e sua corte, Cabral recebe das mãos do rei o estandarte real, símbolo do seu poder, partindo em seguida para as Índias.

Chegada ao Brasil


No dia 22 de abril a esquadra avista novas terras. No dia 23 desembarcam no local denominado Porto Seguro (hoje baía Cabrália), entre a ilha da Coroa Vermelha e a baía rasa de Santa Cruz, na Bahia, travando os primeiros contatos com os indígenas.

Pero Vaz de Caminha, na carta que envia depois ao rei D. Manuel, conta que Cabral, resolveu mandar um pequeno barco, com Nicolau Coelho, para ver o local de perto. Vinte homens pardos, todos nus se aproximaram do escaler. Os homens traziam arco e flecha, mas a um sinal dos portugueses baixaram as armas.

No dia 26 de abril, na ilha da Coroa Vermelha, é rezada a primeira missa no Brasil. Nos dias que se seguiram, Cabral organizou diversas excursões para conhecer melhor o lugar. No dia 1 de maio, uma cruz foi levada até as margens, tinha as armas de Portugal esculpidas, era o marco da soberania portuguesa. Foi colocada na entrada da floresta, diante de um pequeno altar, onde foi celebrada a segunda missa, como cerimônia de posse das terras, sob os olhares dos indígenas.

Rumo à Índia


No dia 2 de maio a nau de Gaspar de Lemos retorna a Portugal, levando a carta de Pero Vaz de Caminha. Os demais navios seguem para a Índia. No dia 13 de maio, quatro embarcações, entre as quais a de Bartolomeu Dias, é destruída pela tormenta.

Pedro Álvares Cabral chega a Calecute na Índia, no dia 13 de setembro de 1500. Recebido pelo rei, atacou os mouros, queimou dez naus ancoradas no porto e matou cerca de 600 inimigos. Seguiu para Cochim e Cananor, onde carregou as naus com especiarias. Retornou à Europa com um grande carregamento de especiarias e produtos locais, aportando em Lisboa no dia 21 de julho de 1501, com seis navios remanescentes da grande esquadra. Cabral é recebido com festas, era a consolidação do comércio com o oriente.

Últimos Anos


Em 1503, Pedro Álvares Cabral casa-se com D. Isabel de Castro, filha de D. Fernando de Noronha e Constança de Castro, com quem teve seis filhos. É nomeado para o comando de uma nova expedição, mas depois de oito meses de preparativos, é substituído por Vasco da Gama. Em 1509, retira-se para sua propriedade perto de Santarém. Em 1518 recebe o título de Cavaleiro do Conselho Régio.

Pedro Álvares Cabral faleceu em Santarém, Portugal, no ano de 1520. Seu corpo foi sepultado na Igreja da Graça.

Imagem

Ocupação
Navegador português


https://www.ebiografia.com/pedro_cabral/
[center][b]Pedro Álvares Cabral[/b][/center] [center][i]Navegador português[/i][/center] [center][b]Biografia de Pedro Álvares Cabral[/b][/center] Pedro Álvares Cabral (1467-1520) foi um navegador e explorador português, capitão-mor da frota portuguesa que avistou a costa do Brasil em 22 de abril de 1500. Pedro Álvares Cabral nasceu no Castelo de Belmonte, na Beira Baixa, Portugal, no ano de 1467. Foi o terceiro filho de Fernão Cabral e Isabel Gouveia de Queirós. De família nobre, famosa nas lutas contra os mouros e castelhanos, estudou em Lisboa onde aprendeu literatura, história, cosmografia e artes militares. Na corte de D. João II (1481-1495) aperfeiçoou-se em cosmografia e estudou técnicas militares. No reinado de D. João II começaram as grandes saídas marítimas. Experientes no uso de caravelas, os portugueses passaram a explorar a costa ocidental da África. Em 1488, Bartolomeu Dias cruzou o cabo da Boa Esperança, extremo sul da África e, em 1498, Vasco da Gama chegou a Calicute, na Índia. [center][b]Esquadra de Pedro Álvares Cabral[/b][/center] Na corte de D. Manuel (1495-1521), Cabral foi agraciado com o título de “Fidalgo do Conselho do Rei e Cavaleiro da Ordem de Cristo”. Em 1499, foi nomeado capitão-mor da esquadra que seguiria para a Índia, com missão diplomática, comercial e militar. Pedro Álvares Cabral assumiu o posto de capitão-mor da frota, composta por dez naus e três caravelas, a maior frota até então enviada ao Oriente, entregando o comando a navegadores experientes como Bartolomeu Dias e Nicolau Coelho. Havia pessoas importantes em cada navio como fidalgos e religiosos, entre eles, frei Henrique Soares de Coimbra, o escrivão Pero Vaz de Caminha e ainda cientistas e astrônomos. No dia 9 de março de 1500, no porto de Lisboa, após uma missa, em meio a uma grandiosa cerimônia com a presença do rei e sua corte, Cabral recebe das mãos do rei o estandarte real, símbolo do seu poder, partindo em seguida para as Índias. [center][b]Chegada ao Brasil[/b][/center] No dia 22 de abril a esquadra avista novas terras. No dia 23 desembarcam no local denominado Porto Seguro (hoje baía Cabrália), entre a ilha da Coroa Vermelha e a baía rasa de Santa Cruz, na Bahia, travando os primeiros contatos com os indígenas. Pero Vaz de Caminha, na carta que envia depois ao rei D. Manuel, conta que Cabral, resolveu mandar um pequeno barco, com Nicolau Coelho, para ver o local de perto. Vinte homens pardos, todos nus se aproximaram do escaler. Os homens traziam arco e flecha, mas a um sinal dos portugueses baixaram as armas. No dia 26 de abril, na ilha da Coroa Vermelha, é rezada a primeira missa no Brasil. Nos dias que se seguiram, Cabral organizou diversas excursões para conhecer melhor o lugar. No dia 1 de maio, uma cruz foi levada até as margens, tinha as armas de Portugal esculpidas, era o marco da soberania portuguesa. Foi colocada na entrada da floresta, diante de um pequeno altar, onde foi celebrada a segunda missa, como cerimônia de posse das terras, sob os olhares dos indígenas. [center][b]Rumo à Índia[/b][/center] No dia 2 de maio a nau de Gaspar de Lemos retorna a Portugal, levando a carta de Pero Vaz de Caminha. Os demais navios seguem para a Índia. No dia 13 de maio, quatro embarcações, entre as quais a de Bartolomeu Dias, é destruída pela tormenta. Pedro Álvares Cabral chega a Calecute na Índia, no dia 13 de setembro de 1500. Recebido pelo rei, atacou os mouros, queimou dez naus ancoradas no porto e matou cerca de 600 inimigos. Seguiu para Cochim e Cananor, onde carregou as naus com especiarias. Retornou à Europa com um grande carregamento de especiarias e produtos locais, aportando em Lisboa no dia 21 de julho de 1501, com seis navios remanescentes da grande esquadra. Cabral é recebido com festas, era a consolidação do comércio com o oriente. [center][b]Últimos Anos[/b][/center] Em 1503, Pedro Álvares Cabral casa-se com D. Isabel de Castro, filha de D. Fernando de Noronha e Constança de Castro, com quem teve seis filhos. É nomeado para o comando de uma nova expedição, mas depois de oito meses de preparativos, é substituído por Vasco da Gama. Em 1509, retira-se para sua propriedade perto de Santarém. Em 1518 recebe o título de Cavaleiro do Conselho Régio. Pedro Álvares Cabral faleceu em Santarém, Portugal, no ano de 1520. Seu corpo foi sepultado na Igreja da Graça. [center][img]https://s.ebiografia.com/assets/img/authors/pe/dr/pedro-alvares-cabral-l.jpg[/img][/center] [center]O[i]cupação Navegador português[/i][/center] [url=https://www.ebiografia.com/pedro_cabral/]https://www.ebiografia.com/pedro_cabral/[/url]
Imagem

“Eu nunca volto atrás na minha palavra... Esse é o meu jeito!” - Naruto

Logue-se para responder!
Você precisa logar para responder e interagir no nosso site.